Biografia

Crmen Antunes de Matos Fortuna, Carmita, nasceu em Quinta do Anjo, (Portugal), no dia 14 de Julho de 1937, no seio de uma famlia catlica com poucos recursos econmicos. Foi a dcima primeira de 12 irmos.

Aos 19 anos Carmita decidiu seguir o seu sonho, de se tornar uma "'me de famlia" para crianas que tinham sido abandonadas.

Em Maio de 1959, com apenas 21 anos, adotou o primeiro "filho", tinha apenas 20 dias e estava condenado a morrer de fome devido a falta de cuidados por parte da me, que era deficiente mental. Esta deciso da Carmita no for muito bem vista pelos que com ela conviviam, pois consideravam-na muito nova para assumir tamanha responsabilidade. Aquando da adoo da segunda "filha" com 7 anos, a Francelina, a reao geral j foi mais moderada, todavia, muitos no compreendiam como que algum era capaz de dedicar toda a sua vida a crianas que ningum desejava. A adoo da terceira criana, a Gracinha, com apenas 15 meses, ainda no andava devido fome qua sempre passara, foi um escndalo. Viu-se obrigada a abandonar o curso do Magistrio e o seu emprego, no Sanatrio do Outo, onde era secretaria. Algum tempo mais tarde, recebeu mais trs irmos (dois rapazes e urna rapariga) tinham 1, 6 e 10 anos respetivamente. No total, Carmita acolheu 6 crianas.

Foi internada no Instituto Portugus de Oncologia (IPO), pela primeira vs aos 22 anos, sendo-lhe diagnosticado cancro da mama. Era considerada um "Anjo Bom" para muitos que como ela se encontravam internados no IPO e graas ao seu singular poder de comunicabilidade e de estabelecer amizades, foi um verdadeiro exemplo de f e perseverana, para muitos que estavam confinados a vaguear pelos corredores do IPO sem qualquer rstia de esperana. Soube transformar a sua vida num exerccio constante de apostolado na escola, no emprego, junto dos amigos, na vizinhana, no hospital, em toda a parte; pela palavra, pela amizade, pelo amor...

Tambm se comprometeu em vrios movimentos apostlicos organizados, como, a J.A.C.F (Juventude Agrria Catlica Feminina) a nos Cursilhos de Cristandade; a todos marcou profundamente, no s pela sua f, mas sobretudo pela sua coragem e audcia. Nunca se "entregou" doena e manteve toda a sua vivacidade e entusiasmo contagiantes at aos ltimos dias que permaneceu na terra.

A 14 de Maio de 1980, voltou para junto do Pai, deixando em todos os que com ela conviveram uma lio e um exemplo inestimvel do valor do Amor e do viver para os outros.